15
Mai 09

Em 1993, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 15 de Maio como Dia Internacional da Família. Desde esse ano que a ONU tem celebrado este dia chamando a atenção para determinadas questões que influenciam o dia-a-dia da Família.

 

O tema para este ano é “Bem-estar da Família e HIV/SIDA (AIDS)”.

 

A ideia é chamar a atenção para a doença que tem afectado de forma trágica e profunda muitas famílias. Os números são medonhos:

Em 2003 quase 5 milhões de pessoas foram infectadas pelo HIV, o maior número de qualquer ano desde o começo da epidemia.
A nível mundial, o número de pessoas que vivem com HIV continua a crescer:
35 milhões em 2001
38 milhões em 2003

 

No mesmo ano, quase 3 milhões de pessoas morreram com SIDA (AIDS).
Mais de 20 milhões já morreram desde que os primeiros casos de SIDA (AIDS) foram identificados em 1981. [1]

Em 2003, 15 milhões de crianças com menos de 18 anos ficaram órfãs devido a HIV/SIDA (AIDS), dos quais 8 em cada 10 vivem na África sub-sahariana. Ainda mais milhões de crianças vivem em lares com membros da família doentes e a morrer. Os efeitos da epidemia atravessam todos os aspectos da vida das crianças: o seu bem-estar emocional, segurança física, desenvolvimento mental e saúde em geral. Muitas vezes as crianças têm de deixar a escola para ir trabalhar, tomar conta dos pais ou irmãos e pôr a comida na mesa. Estas crianças estão muitas vezes mais em risco de subnutrição e de serem vítimas de violência, trabalho infantil exploratório, discriminação e outros abusos.

 

A chamada geração de órfãos sofre vulnerabilidades particulares e carece de atenção específica desesperadamente.

 

Estes números demonstram que ainda não se vislumbram frutos do enorme esforço económico dispendido pelos governos e outras instituições para suster o avanço desta pandemia, provavelmente por estarem a seguir estratégias erradas. Neste campo, o Uganda aparece como caso de sucesso, por ter apostado fortemente numa prevenção acertada, fundada no combate à promiscuidade sexual, com o envolvimento das autoridades ao mais alto nível.

 

Como conclui o Secretário-Geral da ONU na sua mensagem para o Dia Internacional da Família deste ano, "A strong and supportive family is one of the first lines of defence against HIV/AIDS. On this International Day of Families, let us rededicate ourselves to helping this precious unit play its full part in that mission."

 

 

 

publicado por bibliojorgemontemor às 10:58

pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


blogs SAPO
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO