15
Mai 09

Em 1993, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 15 de Maio como Dia Internacional da Família. Desde esse ano que a ONU tem celebrado este dia chamando a atenção para determinadas questões que influenciam o dia-a-dia da Família.

 

O tema para este ano é “Bem-estar da Família e HIV/SIDA (AIDS)”.

 

A ideia é chamar a atenção para a doença que tem afectado de forma trágica e profunda muitas famílias. Os números são medonhos:

Em 2003 quase 5 milhões de pessoas foram infectadas pelo HIV, o maior número de qualquer ano desde o começo da epidemia.
A nível mundial, o número de pessoas que vivem com HIV continua a crescer:
35 milhões em 2001
38 milhões em 2003

 

No mesmo ano, quase 3 milhões de pessoas morreram com SIDA (AIDS).
Mais de 20 milhões já morreram desde que os primeiros casos de SIDA (AIDS) foram identificados em 1981. [1]

Em 2003, 15 milhões de crianças com menos de 18 anos ficaram órfãs devido a HIV/SIDA (AIDS), dos quais 8 em cada 10 vivem na África sub-sahariana. Ainda mais milhões de crianças vivem em lares com membros da família doentes e a morrer. Os efeitos da epidemia atravessam todos os aspectos da vida das crianças: o seu bem-estar emocional, segurança física, desenvolvimento mental e saúde em geral. Muitas vezes as crianças têm de deixar a escola para ir trabalhar, tomar conta dos pais ou irmãos e pôr a comida na mesa. Estas crianças estão muitas vezes mais em risco de subnutrição e de serem vítimas de violência, trabalho infantil exploratório, discriminação e outros abusos.

 

A chamada geração de órfãos sofre vulnerabilidades particulares e carece de atenção específica desesperadamente.

 

Estes números demonstram que ainda não se vislumbram frutos do enorme esforço económico dispendido pelos governos e outras instituições para suster o avanço desta pandemia, provavelmente por estarem a seguir estratégias erradas. Neste campo, o Uganda aparece como caso de sucesso, por ter apostado fortemente numa prevenção acertada, fundada no combate à promiscuidade sexual, com o envolvimento das autoridades ao mais alto nível.

 

Como conclui o Secretário-Geral da ONU na sua mensagem para o Dia Internacional da Família deste ano, "A strong and supportive family is one of the first lines of defence against HIV/AIDS. On this International Day of Families, let us rededicate ourselves to helping this precious unit play its full part in that mission."

 

 

 

publicado por bibliojorgemontemor às 10:58

24
Abr 09
*Página oficial do Centro de Documentação 25 de Abril da universidade de Coimbra: *
 http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=homePage


"Animações do DVD "25 de Abril, 32 Anos, 32 Perguntas"

http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=anims32perguntas

http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=animacoes
publicado por bibliojorgemontemor às 02:36

 http://www.slideshare.net/CRE/romance-das-letras.

 

publicado por bibliojorgemontemor às 02:15

25 de Abril

 

publicado por bibliojorgemontemor às 02:09

COMEMORAÇÃO DO DIA MUNDIAL  DO LIVRO

 23 DE ABRIL

 

publicado por bibliojorgemontemor às 01:43

12
Fev 09

QUEM FOI CHARLES DARWIN?

Nome: Charles Robert Darwin

Pais: Robert Waring Darwin e Susannah Wedgwood

Nacionalidade: Inglesa

Data de nascimento /morte: 12 Fevereiro 1809 – 19 Abril 1882

Local de nascimento: Shewbury uma cidade situada no oeste de Inglaterra, perto da fronteira o País de Gales.

Local onde viveu: Kent, em Down house 

Local onde está sepultado: Abadia de Westminster, em Londres, em 1882, foi sepultado como uma das figuras científicas mais veneradas do país: "O inglês mais proeminente desde Newton" afirmava o Times.

Profissão: Naturalista

Tempo livre:

  • Em criança: coleccionava espécies com interesse para a história natural que colhia quando deambulava pelos campos ingleses
  • Edimburgo: realização de trabalhos práticos relacionados com a história natural
  • Cambridge: dedicação à história natural e ao divertimento (jogava às cartas e gozava a vida com os seus amigos):
    • entomatologista amador (escaravelhos);
    • estuda invertebrados marinhos 
    • caça de raposas e aves e trocava espécies de história natural com os amigos
  • Kent (sua casa): escreve cartas, visita os amigos, estuda e faz pequenas experiências de história natural na estufa ou no seu gabinete de trabalho.

VIAGENS:

Entre 1831-1836 Charles Darwin realizou uma importante viagem a bordo do navio HMS Beagle que o conduziu a formular a teoria da selecção natural. Essa viagem foi para Darwin o acontecimento mais importante da sua vida. O diário de pesquisa, os registos e as anotações realizadas por Darwin a bordo do Beagle (onde são relatadas as memórias dessa viagem) foram de uma importância fulcral uma vez que o mesmo veio, posteriormente, a utilizar várias das ideias que são indicadas no livro para o desenvolvimento da Teoria da Evolução. A Viagem do Beagle é o título comummente dado ao livro por ele escrito (publicado em 1939) com base no diário de pesquisa, os registos e suas anotações. Cobrindo áreas da biologia, geologia, e antropologia, demonstra o grande poder de observação de Darwin, além de que foi escrito num período em que os europeus ocidentais ainda estavam a descobrir e a explorar o resto do mundo.

 

 

"Sobre a Origem das Espécies através da selecção Natural, ou a Preservação das Raças favorecidas na luta pela Vida".

É, sem dúvida, a obra principal da minha vida”, escreveu Darwin na sua Autobiografia. “Foi desde o início um sucesso estrondoso”. É neste livro que vem formulada a Teoria da Selecção Natural – que explica que todas as espécies vivas foram evoluindo ao longo do tempo a partir de ancestrais comuns através de um processo que ele designou selecção natural. O título completo da obra é: "Sobre a Origem das Espécies através da selecção Natural, ou a Preservação das Raças favorecidas na luta pela Vida". Foi publicado em Londres pela firma John Murray, a 24 de Novembro de 1859. A primeira edição do livro esgotou logo no primeiro dia e com ela teve início uma enorme polémica no domínio público que veio a alastrar a toda a sociedade civil e religiosa.

 

            Hoje comemoram-se os 200 anos do seu nascimento. Estão previstos acontecimentos. Para conheceres o Programa das Comemorações podes consultar os seguintes sites:

 

·         http://www.nhm.ac.uk/nature-online/science-of-natural-history/expeditions-collecting/beagle-voyage/index.html

 

·         http://www.darwin2009.pt

 

publicado por bibliojorgemontemor às 15:20

02
Fev 09

 

Sabes quem disse estas palavras?
 
·      "A atenção é a mais importante de todas as faculdades para o desenvolvimento da inteligência humana."
 
·      "Não gostamos que os animais, a quem tornamos nossos escravos, sejam considerados nossos iguais."
 
·      "A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana."
 
 
 
   
  
 
 
 
DIA 12 DE FEVEREIRO FICARÁS A SABER!

 

publicado por bibliojorgemontemor às 11:53

26
Jan 09

Comemorou-se o nascimento de Louis Braille no início deste mês. Criador do sistema de leitura para cegos ao qual foi dado o seu nome, Braille. Sendo esta uma descoberta de extrema importância e utilidade para as pessoas que não podem por várias razões utilizar um dos sentidosd o ser humano, a visão.

 

Louis Braille (Coupvray, 4 de Janeiro de 1809 - Paris, 6 de Janeiro de 1852)

 

 

 

Braille é um sistema de leitura com o tato  para cegos inventado pelo francêsLouis Braille.

 

 L. Braille perdeu a visão aos três anos. Quatro anos depois, ele ingressou no Instituto de Cegos de Paris. Em 1827, então com dezoito anos, tornou-se professor desse instituto. Ao ouvir falar de um sistema de pontos e buracos inventado por um oficial para ler mensagens durante a noite em lugares onde seria perigoso acender a luz, L. Braille fez algumas adaptações no sistema de pontos em relevo.

 

Em 1829, publicou o seu método. O sistema Braille é um alfabeto convencional cujos caracteres se indicam por pontos em relevo, o deficiente visual distingue por meio do tato. A partir dos seis pontos salientes, é possível fazer 63 combinações que podem representar letras simples e acentuadas, pontuações, algarismos, sinais algébricos e notas musicais.

L. Braille morreu de tuberculose, em 1852, ano em que seu método foi oficialmente adotado na Europa e América.

Um cego experiente pode ler duzentas palavras por minuto.

  

Alfabeto Braille de seis pontos

  • Letras e Números
  • Outros símbolos

 

 

De acordo com a GRAFIA BRAILLE PARA A LÍNGUA PORTUGUESA (Aprovada pela portaria nº 2.678 de 24 de setembro de 2002[1]) e publicada pelo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO e SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL 2ª EDIÇÃO, 2006, fazem-se necessárias as seguintes atualizações:

 

 

- Os parênteses foram subdivididos em dois grupos:

 

 

 in Wikipédia, a enciclopédia livre.

publicado por bibliojorgemontemor às 16:36

pesquisar
 
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


blogs SAPO
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO